A Unidade Básica de Saúde do Parque das Hortênsias, em Itupeva serviu na tarde desta quarta-feira, 27 de outubro, para a implantação de um projeto-piloto da empresa Truly Nolen, conhecido como ‘Truly Eco Mosquito Control’, que realiza o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika, Febre Amarela e Chikungunya.

Na ocasião, o teste foi presenciado pelo prefeito de Itupeva, Marcão Marchi e pelo secretário interino de Saúde, Wellington do Amaral Trindade, que acompanharam o processo de instalação realizado pela equipe técnica da empresa.

Na prática foram instalados cinco equipamentos (armadilhas) que terão a função de atrair fêmeas do Aedes (grávidas), que após o pouso na armadilha acabam sendo contaminadas com agentes biológicos e depois voam e inutilizam outros criadouros do entorno ao visitá-los. Após isso, num prazo de uma semana, a fêmea contaminada morre, gerando um processo, no qual o mosquito é utilizado para controle da própria espécie.

Segundo Silvia Colepicolo Maciel, que atua como gestora da empresa na cidade de Itupeva, esse projeto piloto na UBS será monitorado constantemente. “As visitas técnicas ocorrerão a cada 45 dias, sendo contabilizado a quantidade de mosquitos capturados e sua qualificação quanto a espécie”, explica.

O prefeito Marcão Marchi afirmou que está muito otimista com o projeto-piloto realizado na cidade. “É uma aposta que estamos fazendo, por meio desta ação desenvolvida pela empresa Truly Nolen, visando à eliminação do mosquito, através de uma tecnologia inovadora, que acredito em seu êxito, em benefício da nossa população”, diz.

De acordo com o secretário interino de Saúde, Wellington do Amaral Trindade, essa iniciativa agrega a atuação de combate ao mosquito Aedes aegypti realizada na cidade, tendo em vista que a Prefeitura já está empenhada em ações como os mutirões nos bairros, por exemplo. “A partir do desempenho deste projeto-piloto haverá uma avaliação, a fim de expandirmos essa tecnologia para outras localidades do município, por meio de parcerias, sem deixar de lado as campanhas e mutirões”, informa.

Curiosidade – As armadilhas utilizadas neste projeto-piloto possuem alta tecnologia e são desenvolvidas na Holanda e Alemanha, sendo atestadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Agência Ambiental Norte-Americana (EPA) e testadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Fonte: Prefeitura de Itupeva/SP